Alunos bombeiros estariam sofrendo maus tratos em curso na Paraíba; Corporação nega

Publicado por em 10 de setembro de 2015

BombeirosO deputado estadual Frei Anastácio (PT) denunciou nessa quarta-feira (9) que estariam acontecendo irregularidades e maus tratos a alunos do Curso de Formação de Soldados do Corpo de Bombeiros da Paraíba. Segundo o deputado, os alunos estariam sendo acordados com bombas e tiros de fuzil nas proximidades do ouvido. Já a Corporação nega as irregularidades.

O deputado informou que as denúncias teriam partido de membros que fazem parte da turma atual do curso, que teria 80 alunos. Ainda segundo o deputado, o comando do Corpo de Bombeiros já teria sido alertado sobre os casos.

“As denúncias foram feitas e já levadas ao conhecimento do comandante do Corpo de Bombeiros. Estamos agora oficializando o caso ao governo do Estado. Uma das denúncias é de que os alunos são obrigados a capinar mato durante a noite, sob a luz de lanterna, e ainda sofrendo gritos dos instrutores. Na reunião que tivemos, o comandante dos Bombeiros alertou que qualquer atividade noturna está fora da grade curricular do curso de formação. Se isso aconteceu é uma irregularidade grave”, disse o deputado.

Além de capinar o mato durante a noite e de serem acordados de maneira brusca, os alunos, segundo o deputado, também estariam sendo submetidos a realizar exercícios físicos no meio da noite e, muitas vezes na chuva, obrigados a realizar flexões apoiados apenas nos ombros de outros colegas.

A assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros informou que as denúncias não procedem. “Caso tenha acontecido qualquer fato contrário às normas vigentes e, sobretudo, aos direitos humanos, os alunos possuem um canal de comunicação aberto com os instrutores, com os coordenadores do curso, com o comandante do Centro de Ensino e Instrução, e com o diretor de Ensino e Instrução, que já têm a ordem para receber, apurar e coibir qualquer tipo de conduta irregular”.

Ainda segundo a assessoria, a Corporação não vai abrir sindicância para apurar as denúncias, já que elas foram feitas de maneira anônima e sem provas. A assessoria também informou que, caso sejam apresentadas provas, os responsáveis pelas possíveis irregularidades vão sofrer penalidades.

“Existindo autoria e nexo de causalidade sobre tais condutas irregulares, os envolvidos estarão sujeitos ao previsto no Regulamento Disciplinar em vigor no CBMPB, que prevê sanções na esfera administrativa, e poderão ainda, dependendo do ilícito, sujeitarem-se ao Código Penal Militar, que trata dos crimes no âmbito da Administração Militar. Reiteramos ainda, que o Comando da Corporação deixou um espaço de comunicação aberto para caso o deputado Frei Anastácio tenha interesse de conversar com os alunos e verificar no local a seriedade do processo de formação adotado na Corporação”, concluiu a assessoria do Corpo de Bombeiros.

Fonte: Portal Correio



Deixe seu comentário


Publicidade