Candidatos ao governo derrotados no 1º turno na PB arrecadam R$ 9,7 mi

Publicado por em 5 de novembro de 2014

Os candidatos ao governo da Paraíba que não foram para o segundo turno arrecadaram R$ 9.742.292,63 em doações, de acordo com os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta quarta-feira (5). Os dois candidatos que foram para o segundo turno têm até 25 de novembro para prestar contas.

Na declaração anterior, publicada em 6 de setembro, todos os candidatos ao governo do estado haviam informado uma arrecadação de R$ 11,7 milhões. Na primeira declaração, por sua vez, constam R$ 3,7 milhões em doações.

As despesas com a campanha, segundo os dados do TSE, chegaram a R$ 9.732.366,53 entre os candidatos que não passaram para o segundo turno das eleições. Esses candidatos gastaram 99,89% do que arrecadaram. No segundo mês de campanha, os gastos tinham ficado em R$ 23,7 milhões e, no primeiro, em R$ 9,6 milhões.

O total de gastos dos quatro candidatos derrotados no primeiro turno é menor que a metade dos gastos de Ricardo Coutinho (PSB) e Cássio Cunha Lima (PSDB) nos dois primeiros meses de campanha, que somam R$ 19.310.239,72.

A campanha mais cara foi a de Vital do Rêgo Filho (PMDB), que arrecadou R$ 9.682.913,32 e declarou R$ 9.673.069,42 em despesas. Apesar de ter gastado mais entre os quatro que não foram para o segundo turno, o candidato havia previsto gastos de R$ 25 milhões na campanha, o maior limite entre os candidatos da Paraíba, empatado com o governador Ricardo Coutinho.

Em seguida, aparece o Major Fábio (PROS), com receitas declaradas de R$ 38.230 e gastos de R$ 38.148. Ele definiu como limite de gastos na campanha o valor de R$ 10 milhões. Tárcio Teixeira (PSOL), por sua vez, arrecadou R$ 17.899,31 e teve R$ 17.899,31 de despesas. A previsão do candidato era gastar R$ 500 mil.

Antônio Radical (PSTU) teve a campanha mais barata. Ele arrecadou R$ 3.250 e declarou despesas de R$ 3.249. A previsão de gastos do candidato era de R$ 40 mil.

De acordo com a segunda declaração dos candidatos que foram para o segundo turno, Cássio Cunha Lima havia arrecadado R$ 4,5 milhões em doações e gastado R$ 8,7 milhões em 6 de setembro. A previsão de limite de gastos do candidato é de R$ 18 milhões. Já o governador reeleito Ricardo Coutinho tinha arrecadado R$ 6,2 milhões e gastado R$ 10,5 milhões dos R$ 25 milhões previstos.

Fonte: G1



Deixe seu comentário


Publicidade