Clínicas da PB são notificadas por preço abusivo de vacina contra H1N1

Publicado por em 12 de abril de 2016

Quatro clínicas de saúde da rede privada de João Pessoa foram notificadas nesta terça-feira (12) por cobrança de preços abusivos na aplicação das vacinas trivalente e tetravalente contra o vírus H1N1. As notificações ocorreram durante uma fiscalização da Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP).

O órgão disse ter recebido denúncias de que os preços do produto estavam tendo elevação de mais de 50% após a divulgação de um possível surto da gripe no Estado.

“Por enquanto estamos trabalhando com a possibilidade de haver preços abusivos por parte das clínicas particulares, o que é ilegal sob a ótica do Código de Defesa do Consumidor (CDC)”, acrescentou o secretário.

A Paraíba registrou a primeira morte de caso confirmado na tarde da terça-feira (5). Uma mulher de 25 anos morreu em um hospital particular de Campina Grande em decorrência da doença.  E na quarta-feira (7) um homem de 46 anos morreu  no Hospital Regional de Cajazeiras, no Sertão paraibano, com suspeita de estar infectado com a gripe H1N1.

 Para titular do Procon-JP, Marcos Santos, o aumento no preço das vacinas deve ser investigado, principalmente porque se trata de uma questão de saúde.

“Antes dessa maior divulgação dos riscos da H1N1 para a população, o consumidor poderia se vacinar por R$ 70,00, R$ 80,00. De um dia pro outro, se verificou um aumento absurdo, com a vacina passando a custar entre R$ 100,00 e R$ 150,00”, informou o secretário Marcos Santos.

Segundo o Procon-JP, as clínicas têm dez dias para apresentar as três últimas notas fiscais do produto para justificarem o súbito aumento. João Pessoa dispõe de seis clínicas particulares que realizam o procedimento da vacinação, mas apenas quatro estavam disponibilizando esse recurso preventivo, com todas tendo majorado os preços nos últimos dias.

Vacinação na Paraíba
Um lote de vacinas contra a gripe já foi encaminhado para municípios da Paraíba e agora as campanhas de imunização já podem ser iniciadas a critério de cada cidade, segundo informou a Secretaria de Estado de Saúde (SES) na segunda-feira (11).

Em Campina Grande e Cabedelo, por exemplo, a campanha começou na segunda-feira (11). De acordo com as secretarias de saúde dos municípios, a primeira etapa da vacinação é destinada as gestantes e trabalhadores de saúde.

Fonte: G1



Deixe seu comentário


Publicidade