Quadrilhas juninas param atividades após assaltos em Campina Grande

Publicado por em 16 de fevereiro de 2016

Oito quadrilhas juninas de Campina Grande suspenderam as atividades preparatórias para o São João 2016 após membros de duas delas serem assaltados durante ensaios na noite do domingo (14). A informação foi confirmada pela Associação das Quadrilhas Juninas de Campina Grande (Asquaju-CG).

Integrantes da Quadrilha Moleka 100 Vergonha foram roubados dentro da sede da quadrilha no bairro das Malvinas por volta das 20h30 (horário local). De acordo com a Polícia Militar, seis homens chegaram ao local, quatro armados, e renderam cerca de 200 pessoas. Os criminosos roubaram celulares, carteiras, bolsas e outros objetos pessoais. De acordo com a PM, os assaltantes fugiram e, mesmo após rondas, nenhum criminoso foi localizado.

Moleka 100 Vergonha ficou em primeiro lugar (Foto: Reprodução/TV Globo)Moleka 100 Vergonha é quadrilha premiada
(Foto: Reprodução/TV Globo)

Durante a mesma noite, 80 membros da Quadrilha Junina Cambebas foram assaltados quando ensaiavam em um ginásio de uma escola pública. O presidente da instituição, Rangel Borges, contou que quatro homens chegaram, obrigaram todas as pessoas se deitarem no chão e roubaram objetos pessoais.

Depois dos assaltos, as oito quadrilhas associadas à Asquaju-CG decidiram paralisar as atividades. O presidente da associação, Lima Filho, disse que as quadrilhas não podem mais colocar a vida dos seus membros em risco.

“Esses não foram os primeiros assaltos. São recorrentes. Em outubro do ano passado, a Moleka 100 Vergonha teve um prejuízo de R$ 30 mil, quando roubaram todo equipamento de som e outras coisas. Fora outros assaltos”, disse.

Lima Filho informou que a Asquaju-CG vai acionar o Ministério Público da Paraíba para que seja tomada alguma providência. Ele diz ainda que os assaltantes ficam sabendo dos locais dos ensaios pela internet. “A única quadrilha que tem sede a Moleka, o restante ensaia em ginásios, SAB’s e outros espaços. Por isso, temos que informar os locais horas antes pela internet e assim os bandidos sabem onde os dançarinos estarão”, explicou.

O presidente da Asquaju-CG não descarta a não participação das quadrilhas no São João. “Claro que a suspensão das atividades vai comprometer nossas atividades, mas é o jeito. Se nenhuma providência for tomada, não iremos mais correr o risco de ensaiar”, afirmou Lima Filho.

Fonte: G1



Deixe seu comentário


Publicidade