Inicio Brasil Corinthians e Palmeiras fazem jogo maluco no fim e empatam, com defesa...

Corinthians e Palmeiras fazem jogo maluco no fim e empatam, com defesa de pênalti e golaço

404
0
SHARE

Após mais da metade da partida sem tanto brilho, o clássico entre Palmeiras e Corinthians esquentou nos acréscimos no Pacaembu e terminou em 1 a 1, de maneira “maluca”. Michel Macedo fez um golaço aos 46 minutos. Bruno Henrique empatou para o time alviverde, aos 48. Antes, Walter já tinha defendido um pênalti cobrado por Scarpa.

O placar final não refletiu o que foi a partida. O Palmeiras teve mais volume ofensivo e chutou doze vezes contra a meta do Corinthians, a melhora alviverde foi no segundo tempo, embora com muitos erros de passes e até mes

Parecia que venceria o duelo até o lateral-direito alvinegro Michel Macedo, substituto de Fagner, acertar um chute no ângulo da meta de Weverton. Para se ter ideia, aquele foi apenas o quarto chute certo corintiano no clássico.

Para evitar uma derrota que certamente traria pressão dos torcedores (Palmeiras era o mandante do clássico, com torcida toda a seu favor), Bruno Henrique marcou, após cruzamento de Dudu e bate e rebate na área, no primeiro ataque organizado após o gol do rival. Foi eficiente justamente na última tentativa.

O Palmeiras tem 67 pontos e está a sete do Flamengo, o líder do Campeonato Brasileiro. Já o Corinthians tem 49 e está no sexto lugar.

Ficha técnica

Palmeiras 1 x 1 Corinthians

Gols: Palmeiras: Bruno Henrique, aos 48min/2ºT Corinthians: Michel Macedo, aos 46min/2ºT

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Thiago Santos e Bruno Henrique; Dudu, Gustavo Scarpa (Carlos Eduardo) e Zé Rafael (Willian); Deyverson (Borja); Técnico: Mano Menezes

CORINTHIANS: Walter; Michel, Gil, Manoel e Danilo Avelar; Gabriel e Júnior Urso; Ramiro (Vagner Love), Pedrinho (Mateus Vital) e Janderson (Clayson); Boselli; Técnico: Dyego Coelho

Cartão amarelo: Palmeiras: Marcos Rocha e Thiago Santos; Corinthians: Gabriel

Público: 36.290 presentes (34.283 pagantes) Renda: R$ 1.420.520,00

 

Estatísticas

2 x 3 em desfalques. Do lado do Palmeiras, não jogaram Felipe Melo (suspenso) e Luiz Adriano (dores na coxa direita). Já o Corinthians teve como desfalques Cássio (dores no quadril), Fagner (dores na coxa direita) e Everaldo (recuperando-se de lesão).

7 x 2 foi a quantidade de chutes certos ao gol no primeiro tempo. Os alviverdes tiveram sete arremates, mas não significa que saíram da etapa inicial merecendo vencer. As chances ofereceram pouco perigo.

12 x 2 foi a quantidade de chutes certos ao gol no segundo tempo, quando o Palmeiras foi melhor do que o Corinthians.

52% a 48% Apesar de ter menos chances de ataque, o Corinthians teve mais posse de bola no dérbi.

BOM retrospecto tem o Palmeiras no Pacaembu como mandante em 2019 até o clássico. Foram sete jogos, com cinco vitórias e uma derrota. Isso sem considerar o triunfo contra o São Paulo pelo Estadual, que foi no estádio municipal, mas com mando do rival tricolor.

Ataque x defesa

Apesar de uma boa tentativa de Boselli e outra de Ramiro no início do dérbi, o Corinthians pouco perigo ofensivo ofereceu ao Palmeiras. Pelo contrário, defendeu-se e tentou anular as ações de Dudu e Zé Rafael. Ficou preso no campo defensivo e sofreu mais chutes contra a própria meta, mas nada que tenha deixado a impressão de que o empate sem gols foi injusto nos 45 minutos iniciais. Os palmeirenses erraram passes na área de ataque. E os corintianos tiveram mais posse de bola (57,1% a 42,9%).

Reinício melhor

Se o primeiro tempo foi morno, o segundo começou com dois bons lances para animar os palmeirenses. Antes de o cronômetro apontar o primeiro minuto completo, Deyverson cabeceou a bola, após cruzamento de Scarpa, no canto da meta de Walter, que conseguiu defender usando o peito.

Aos 7, o atacante recebeu a bola de Bruno Henrique, após trauma ágil e veloz do ataque alviverde, e finalizou de primeira, acertando a trave. Três minutos depois, Dudu avançou pela esquerda, cortou um defensor em direção ao centro do campo e chutou. O goleiro corintiano agarrou firme a bola.

O colombiano entrou no segundo tempo na vaga de Deyverson. Foi a volta dele ao time do Palmeiras após mais de cinco meses sem jogar. O fato curioso é que na semana passada o técnico Mano Menezes fez afirmações duras sobre o atacante ao programa “Bola da Vez”, da ESPN, e o jogador e seu empresário reagiram.

“[Ele] Foi contratado pelo Atlético Nacional, que fazia uma temporada espetacular com o Rueda, chega para a semifinal da Libertadores e é decisivo na semifinal e na final, fez quase todos os gols do Atlético Nacional”, disse o treinador. “Então você passa a enxergar este jogador daqui a pouco como uma estrela da América Latina e talvez não seja tão estrela, em primeiro lugar”.

“Quando vi, me surpreendi muito, me doeu na alma, porque [ele disse que eu não tinha trajetória para chegar ao Palmeiras. O futebol dá muitas voltas, e hoje estamos em um lugar onde não estamos tão bem, mas passa o tempo e estaremos bem”, disse Borja para a Blu Rádio, da Colômbia, durante a semana.

VAR! Pênalti! Defesa

O clássico teve polêmica e foi aos 28 da etapa final, quando o árbitro Vinicius Gonçalves Dias Araujo consultou o VAR para saber se houve pênalti de Manoel em lance que Gustavo Gómez cabeceou a bola na área. A bola bateu na mão do zagueiro, que não estava colada ao corpo. O pênalti foi marcado.

No entanto, na cobrança, Gustavo Scarpa chutou no canto direito de Walter, que defendeu.

Na tabela

  • Palmeiras – 2º colocado, com 67 pontos
  • Corinthians – 6º colocado, com 49 pontos

Próximos jogos

  • Domingo, 17/11, 16h, Corinthians x Internacional
  • Domingo, 17/11, 16h, Bahia x Palmeiras

mo finalizações desperdiçadas ou na trave.

Fonte e Imagem: ESPN. COM.BR

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here