Deputado quer a apuração de denúncias

    52
    0
    SHARE

    O deputado federal Luiz Couto (PT-PB) classificou como “muito grave” as denúncias exibidas no ‘Fantástico’, da Rede Globo, no domingo (16), que mostraram a existência da indústria das multas no Brasil, pagas por empresas, que em certos casos contam com apoio de setores do Executivo.

    “É importante a ação da Polícia Militar na investigação desse fato, assim como da Procuradoria-Geral e do Ministério Público, a fim de se dar um basta a essa indústria de multas de gente ganhando dinheiro à custa dessa situação”, defendeu Couto.

    O parlamentar acrescentou que há denúncias feitas, a partir de alguns estados, de que essa indústria vem crescendo através dos instrumentos eletrônicos que são colocados. “E assim multam, multam, e muitas vezes os serviços de qualidade das estradas não são realizados”.

    Luiz Couto também fez referência à matéria apresentada sobre analfabetos que pagam propina para obter a carteira de habilitação.

    “Averiguações revelaram que as habilitações chegavam a custar R$ 4 mil e o interessado na compra do documento tinha a opção de pagar a propina com peixe, camarão e lagosta, a exemplo do que acontecia em Mossoró”, relatou o deputado, informando que segundo o presidente do Grupo Nacional de Combate ao Crime Organizado, formado por promotores, há investigações de fraudes nos DETRANs de quase todo o país.

    O parlamentar lembrou que o Ministério Público da Paraíba descobriu, após cruzar os dados do cadastro eleitoral com os do Detran, que o estado tem 50 mil analfabetos que conseguiram tirar a habilitação.

    Para Luiz Couto, é fundamental que o Ministério Público realize essa investigação e que a Polícia Federal entre nesse circuito para apurar, porque o que o ‘Fantástico’ mostrou é a indústria de multas e a compra de carteiras por quem é analfabeto. “E lá no Rio Grande do Norte você paga a carteira arranjando camarão, arranjando peixe ou lagosta. Isso é suficiente para comprar uma carteira”, completou.

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here