Inicio Destaques Moradores do Conde, PB, devem evitar doações de sangue por um mês...

Moradores do Conde, PB, devem evitar doações de sangue por um mês após casos de malária, diz SES

65
0
SHARE

Os moradores do município do Conde, Litoral da Paraíba, devem evitar doar sangue durante um mês, após o registro de dois casos de malária na cidade. Essa recomendação está entre as orientações da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Os casos foram os primeiros notificados na Paraíba em 2019, no entanto, a SES destaca que a Paraíba não é área endêmica para doença.

(Correção: ao ser publicada, esta reportagem errou ao informar que a recomendação era que os moradores do Conde evitassem doações de sangue por um ano. Na verdade, a Secretaria de Estado da Saúde disse que errou ao informar o período de um ano e que recomendação vale por um mês. O período de um ano é válido apenas para aqueles que tiveram a doença. O erro foi corrigido às 12h45.).

O primeiro caso confirmado de malária foi em uma mulher de 35 anos, que iniciou tratamento no Hospital Universitário Lauro Wanderley. O segundo caso registrado na Paraíba, novamente no município do Conde, Litoral da Paraíba, foi com um homem de 53 anos. Ele saiu do Trauminha de Mangabeira, após confirmar a doença por meio de exames realizados pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen), e também deu entrada no HU. Os dois permanecem em tratamento na unidade de saúde.

A Secretaria de Saúde do Conde acredita que a doença pode ter chegado na cidade no período do carnaval com algum turista infectado pela doença. Essa pessoa pode ter sido picada por um mosquito e o inseto acabou fazendo outras vítimas no município.

No âmbito estadual, a SES está disponibilizando técnicos qualificados para a ação de busca ativa de novos casos, realizando capacitação dos profissionais do Conde para técnica do teste rápido e coleta de lâminas. Até esta segunda-feira (8), os resultados foram negativos.

No Conde, foi realizada a busca ativa na casa onde moram os venezuelanos e todos os testes também deram negativo. As equipes da SES estão trabalhando em regime de plantão, nos fins de semana, para oportunizar a detecção dos casos, por meio de equipes no território e está sendo feita ação, em nível estadual, pela Gerência Executiva de Vigilância em Saúde (Gevs), para esclarecimentos, regulação dos fluxos, nas suspeitas de novos casos.

Calendário de intensificação

  • Nesta quarta-feira (10), no Conde, vai haver uma ação de educação em saúde, com divulgação das informações de sintomas iniciais para a comunidade.
  • Na quinta-feira (11), às 9h, haverá um manejo clínico, com uma infectologista, para os médicos e enfermeiros do município, para a detecção e condução de caso suspeito de malária.

Malária

A malária não é uma doença comum no Estado mas ela é transmitida pela fêmea do mosquito Anopheles, que pode ser encontrado na Paraíba nas espécies An.aquasalis; An. albitarsis; An.bellator e An. Argyritarsis.

É necessário que o mosquito esteja infectado pelo protozoário Plasmodium nas espécies P. vivax, P. falciparum e P. malariae, que age na corrente sanguínea para causar a doença.

Além da transmissão por mosquito, a doença pode ser difundida por contato de uma corrente sanguínea com o sangue contaminado.

Fonte: G1

Foto: Jim Gathany/CDC/Reuters

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here