Inicio Brasil Raio-X: conheça os times nordestinos que seguem na briga pelo acesso na...

Raio-X: conheça os times nordestinos que seguem na briga pelo acesso na Série D

144
0
SHARE

O mata-mata da Série D começa neste fim de semana com 32 times sonhando com o acesso. Destes, 11 são nordestinos – dos tradicionais América-RN, Campinense e Treze, aos emergentes Cordino e Altos. Todos alimentam o mesmo sonho: sair da última divisão do futebol brasileiro para dias melhores a partir de 2019.

Com um regulamento que preza pelo regionalismo, era natural que alguns deles se enfrentassem já no primeiro mata-mata. São quatro duelos regionais América x Imperatriz, Campinense x Itabaiana, Ferroviário x Cordino e Moto Club x Flu de Feira. Vendo pelo lado bom, já são pelo menos quatro nordestinos garantidos na terceira fase – a penúltima antes do mata-mata do acesso.

Arma no banco: Campeão da Série D de 2013, Marcelo Vilar assumiu o Ferroviário no lugar de Maurílio Silva (Foto: Ronaldo Oliveira/Divulgação) Arma no banco: Campeão da Série D de 2013, Marcelo Vilar assumiu o Ferroviário no lugar de Maurílio Silva (Foto: Ronaldo Oliveira/Divulgação)

Arma no banco: Campeão da Série D de 2013, Marcelo Vilar assumiu o Ferroviário no lugar de Maurílio Silva (Foto: Ronaldo Oliveira/Divulgação)

Outros terão caminhos mais tortuosos – ou pelo menos, mais desconhecidos. O Altos medirá forças contra o tradicional Nacional (AM); o Sergipe pega o Brasiliense (DF), enquanto o Treze terá que ir até Patos de Minas para encarar o URT (MG). Aliás, o time paraibano fez parte do Grupo A9 e “despencou” do regionalismo sugerido pela CBF – se passar pelos mineiros, terá pela frente outro adversário pouco conhecido: Novo (MS) ou Iporá (GO).

O fato é os nordestinos tem lá suas armas. Quase todas, no banco. São cinco campeões brasileiros comandando equipes nesse processo de retomada: Ney da Mata, do América-RN (campeão da Série C de 2016 pelo Boa Esporte); Ruy Scarpino, do Campinense (campeão da Série C de 2003 pelo Ituano); Oliveira Canindé, do Altos (campeão da Série D de 2010 pelo Guarany de Sobral), Marcelo Vilar, do Ferroviário (campeão da Série D de 2013 pelo Botafogo-PB) e Flávio Araújo, do Treze (campeão da Série D de 2012 pelo Sampaio Corrêa; e da Série C do ano passado, pelo CSA).

O blog preparou um raio-x dos 11 nordestinos que seguem sonhando com o acesso.

 (Foto: GloboEsporte.com)  (Foto: GloboEsporte.com)

(Foto: GloboEsporte.com)

O atacante Adriano Pardal volta a encarar o Imperatriz no mata-mata (Foto: Canindé Pereira/América FC) O atacante Adriano Pardal volta a encarar o Imperatriz no mata-mata (Foto: Canindé Pereira/América FC)

O atacante Adriano Pardal volta a encarar o Imperatriz no mata-mata (Foto: Canindé Pereira/América FC)

O Mecão disputa pelo segundo ano seguido a Série D e espera ter mais sorte do que no ano passado, quando chegou como favorito ao acesso e acabou perdendo nas quartas de final para o Juazeirense. O América-RN vive um bom momento na Série D: venceu as últimas três partidas que disputou e se classificou de forma invicta para a segunda fase. No mata-mata, volta a encarar o Imperatriz, adversário da primeira fase, ao qual venceu na última rodada por 2 a 1.O time potiguar é comandado pelo técnico Ney da Mata (campeão da Série C de 2016 pelo Boa Esporte), e tem como destaques o veterano Cascata, de 35 anos, e o artilheiro Adriano Pardal.

Adversário no mata-mata: Imperatriz (MA)
Time-base: Fred; Hudson, Negretti, Jadson e Danilo; Jonathas, Rodney e Cascata; Lucas Silva, Adriano Pardal e Flávio Carioca
Técnico: Ney da Mata
Estádio: Arena das Dunas (32 mil torcedores)
Participações na Série D: 2
Ranking da CBF: 43º colocado
Palpite GE: briga pelo título

 (Foto: GloboEsporte.com)  (Foto: GloboEsporte.com)

(Foto: GloboEsporte.com)

Campeão da Série D de 2010 pelo Guarany de Sobral, o técnico Oliveira Canindé sonha em repetir o feito com o Altos (Foto: Luis Júnior/Altos) Campeão da Série D de 2010 pelo Guarany de Sobral, o técnico Oliveira Canindé sonha em repetir o feito com o Altos (Foto: Luis Júnior/Altos)

Campeão da Série D de 2010 pelo Guarany de Sobral, o técnico Oliveira Canindé sonha em repetir o feito com o Altos (Foto: Luis Júnior/Altos)

O time se tornou a principal força do futebol piauiense nos últimos anos. Fundado em 2013, é o atual bicampeão estadual e agora sonha em fortalecer a sua marca no cenário nacional. Para isso, conseguir o acesso na Série D é uma das metas. Um dos trundos está no banco de reservas: o técnico Oliveira Canindé, campeão da primeira edição da Série D pelo Guarany de Sobral, em 2010. Na primeira fase, o Altos fez uma campanha regular, terminando na vice-liderança do Grupo A5, atrás do Moto Club. Por isso, terá que decidir o mata-mata contra o Nacional-AM fora de casa.

Adversário no mata-mata: Nacional (AM)
Time-base: Gideão, Tote, Leone, Éverton e Thiaguinho; Marconi, Dos Santos, Roger e Klenisson; Manoel e Joelson
Técnico: Oliveira Canindé
Estádio: Felipão (4 mil torcedores)
Participações na Série D: 3
Ranking da CBF: 98º colocado
Palpite GE: pode surpreender

 (Foto: GloboEsporte.com)  (Foto: GloboEsporte.com)

(Foto: GloboEsporte.com)

O experiente Marcinho comanda o meio-campo do Campinense, que fez a segunda melhor campanha entre todos os times na primeira fase (Foto: Divulgação / Campinense) O experiente Marcinho comanda o meio-campo do Campinense, que fez a segunda melhor campanha entre todos os times na primeira fase (Foto: Divulgação / Campinense)

O experiente Marcinho comanda o meio-campo do Campinense, que fez a segunda melhor campanha entre todos os times na primeira fase (Foto: Divulgação / Campinense)

Enterrado na última divisão do futebol brasileiro desde 2012 (não jogou a edição de 2013), o Campinense entre sempre como favorito ao acesso. Mas a realidade é bem diferente. A Raposa costuma ir mal no mata-mata, frustrando os seus torcedores. Um dos traumas é a disputa por pênaltis, na qual foi eliminado em 2014 (para o Operário-PR) e em 2016 (para o Itabaiana). Curiosamente, o time sergipano volta a ser o adversário deste ano no mata-mata. O técnico Ruy Scarpino tem um elenco homogêneo, onde se destacam o goleiro Jéferson (melhor do último paraibano), o meia Marcinho (aquele mesmo, ex- e o atacante Rodrigo Silva. Na primeira fase, fez uma campanha irretocável, com cinco vitórias e um empate.

Adversário no mata-mata: Itabaiana (SE)
Time-base: Jéferson, Alex Murici, William Goiano, Rafael Jensen e Zeca; Jorginho, Felipe Macena, Marcinho e Thiago Potiguar; Eduardo e Rodrigo Silva
Técnico: Ruy Scarpino
Estádio: Amigão (19 mil torcedores)
Participações na Série D: 6
Ranking da CBF: 70º colocado
Palpite GE: Briga pelo título

 (Foto: GloboEsporte.com)  (Foto: GloboEsporte.com)

(Foto: GloboEsporte.com)

Em sua primeira participação numa competição nacional, o Cordino já conseguiu avançar de fase na Série D (Foto: Josiel Martins/GloboEsporte.com) Em sua primeira participação numa competição nacional, o Cordino já conseguiu avançar de fase na Série D (Foto: Josiel Martins/GloboEsporte.com)

Em sua primeira participação numa competição nacional, o Cordino já conseguiu avançar de fase na Série D (Foto: Josiel Martins/GloboEsporte.com)

Mais um time emergente do futebol nordestino. Com apenas oito anos de fundação, desbancou clubes tradicionais do Maranhão para conseguir participar da Série D pela primeira vez. E mesmo debutante, passou para a segunda fase como vice-líder do Grupo A4, um ponto atrás do Ferroviário – aliás, o mesmo adversário do mata-mata. O acanhado Estádio Leandrão, em Barra do Corda, é um verdadeiro desafio para os adversários e pode ser fator decisivo para o sucesso da Onça – nos três jogos disputados em casa na primeira fase foi uma vitória e dois empates.

Adversário no mata-mata: Ferroviário (CE)
Time-base: Pablo; Matheus, Da Silva, Jhonatan e Igor Tavares; Junior Negrão,Emerson, Alison e Ulisses; Cris e Jocivan.
Técnico: Marlon Cutrim
Estádio: Leandrão (5 mil torcedores)
Participações na Série D: 1
Ranking da CBF: 157º colocado
Palpite GE: azarão

Ferroviário header (Foto: GloboEsporte.com) Ferroviário header (Foto: GloboEsporte.com)

Ferroviário (Foto: GloboEsporte.com)

4 de Julho x Ferroviário-CE (Foto: Renan Morais) 4 de Julho x Ferroviário-CE (Foto: Renan Morais)

4 de Julho x Ferroviário-CE (Foto: Renan Morais)

Um dos clubes mais tradicionais do futebol nordestino, com 85 anos de história e nove títulos estaduais. Só isso poderia ser capaz para colocar o Ferroviário como um dos favoritos ao acesso na Série D. Mas a realidade é que o clube cearense está num processo de reconstrução – tanto que sequer aparece no ranking da CBF, que considera as competições nacionais dos últimos cinco anos. Jogou a primeira edição da quarta divisão, em 2009, e só retornou agora. Após o vice-campeonato estadual do ano passado, o Ferrão voltou às manchetes com uma grande campanha na Copa do Brasil, eliminado apenas pelo Atlético-MG na quarta fase. O clube, no entanto, surpreendeu ao demitir Maurílio Silva após a vaga assegurada no mata-mata – em seu lugar, foi contratado Marcelo Vilar, campeão da Série D de 2013 pelo Botafogo-PB.

Adversário no mata-mata: Cordino (MA)
Time-base: Léo; Lucas Mendes,Luís Fernando, André Lima e Sávio; Robson Simplício, Janeudo e Leanderson; Edson Cariús, Esquerdinha e Luís Soares
Técnico: Maurílio Silva
Estádio: Presidente Vargas (20 mil torcedores)
Participações na Série D: 2
Ranking da CBF: não aparece na lista
Palpite GE: pode surpreender

Flu de Feira header (Foto: GloboEsporte.com) Flu de Feira header (Foto: GloboEsporte.com)

Flu de Feira (Foto: GloboEsporte.com)

Flu passa pelo Murici na primeira fase: campanha do time baiano foi superior a 12 líderes de grupo (Foto: Jailson Colácio/Murici) Flu passa pelo Murici na primeira fase: campanha do time baiano foi superior a 12 líderes de grupo (Foto: Jailson Colácio/Murici)

Flu passa pelo Murici na primeira fase: campanha do time baiano foi superior a 12 líderes de grupo (Foto: Jailson Colácio/Murici)

Ao longo da história o Flu de Feira se consolidou como a terceira força do futebol baiano, atrás somente da dupla Ba-Vi. Mas nos últimos anos, o Touro ganhou a concorrência de times emergentes, como Vitória da Conquista e Juazeirense, além de um rival local, o Bahia de Feira (que chegou a ser campeão estadual). Para recolocar as coisas no trilho, o primeiro passo é sair da Série D. A primeira fase foi promissora, apesar de ter ficado em segundo lugar no Grupo A8, atrás do Campinense. Mas o Flu fez 13 pontos (mais do que 12 líderes de grupo) e ainda tem o melhor ataque da Série D com 18 gols marcados em seis jogos. Jaílson, com seis gols, é um dos artilheiros da competição e o principal jogador do time baiano.

Adversário no mata-mata: Moto Club (MA)
Time-base: Andrei, João Carlos, Ranieri, Eduardo e Marcelo; Rodolfo, Diego Aragão, Moreilândia e Jaílson; Hermínio e Levi
Técnico: Evandro Guimarães
Estádio: Joia da Princesa (16 mil torcedores)
Participações na Série D: 5
Ranking da CBF: 118º colocado
Palpite GE: briga pelo acesso

Imperatriz header (Foto: GloboEsporte.com) Imperatriz header (Foto: GloboEsporte.com)

Imperatriz (Foto: GloboEsporte.com)

Imperatriz vence Belo Jardim no Frei Epifânio, em Imperatriz. O Cavalo de Aço volta a enfrentar o América-RN (Foto: Imperatriz / Divulgação) Imperatriz vence Belo Jardim no Frei Epifânio, em Imperatriz. O Cavalo de Aço volta a enfrentar o América-RN (Foto: Imperatriz / Divulgação)

Imperatriz vence Belo Jardim no Frei Epifânio, em Imperatriz. O Cavalo de Aço volta a enfrentar o América-RN (Foto: Imperatriz / Divulgação)

O Imperatriz fez uma campanha sem sustos na primeira fase, mas também sem muito brilho. Num grupo onde o primeiro lugar estava fadado ao América-RN, fez o seu papel direitinho não dando chances para Belo Jardim e Guarany de Sobral. Só que para seguir em frente, o destino não reservou uma sorte muito grande – vai voltar a encarar o Mecão, um dos principais times da Série D e favorito não só ao acesso, como ao título. Para surpreender, o técnico Marcinho Guerreiro (campeão maranhense deste ano pelo Moto Club) aposta no fator casa, onde conseguiu empatar com os potiguares na primeira fase em 0 a 0, na estreia na competição.

Adversário no mata-mata: América (RN)
Time-base: Jean, Gabriel Paulino, André Penalva, Maycon e Renan; Cloves, Kanu, Daniel Barros e Eloir; Júnior Chicão e Adauto
Técnico: Marcinho Guerreiro
Estádio: Frei Epifânio (12 mil torcedores)
Participações na Série D: 2
Ranking da CBF: 165º colocado
Palpite GE: azarão

Itabaiana header (Foto: GloboEsporte.com) Itabaiana header (Foto: GloboEsporte.com)

Itabaiana (Foto: GloboEsporte.com)

Vinícius Saldanha se apresenta aos jogadores do Itabaiana logo depois da demissão de Washington Coração Valente (Foto: Wendell Rezende/AOItabaiana) Vinícius Saldanha se apresenta aos jogadores do Itabaiana logo depois da demissão de Washington Coração Valente (Foto: Wendell Rezende/AOItabaiana)

Vinícius Saldanha se apresenta aos jogadores do Itabaiana logo depois da demissão de Washington Coração Valente (Foto: Wendell Rezende/AOItabaiana)

O Itabaiana viveu uma intensa montanha-russa na primeira fase da Série D. O resumo foi a dramática classificação obtida só na última rodada, com uma suada vitória de 2 a 1 sobre o Santa Rita-AL. A diretoria, no entanto, não aprovou o desempenho do time no Grupo A9 e acabou demitindo o técnico Washington Coração Valente (ex-atacante de Fluminense, Ponte Preta e São Paulo). Para o lugar dele assumiu Vinícius Saldanha, que terá a missão de estrear no Tremendão justamente no mata-mata contra o Campinense. Ele terá o reforço do meia Diego Torres, ex-jogador de Figueirense, Sport e do próprio Campinense. A esperança é repetir a história de dois anos atrás, quando os sergipanos eliminaram a Raposa nos pênaltis.

Adversário no mata-mata: Campinense (PB)
Time-base: Andrade; Gustavo, Diego Bispo, Ramon, e Alex Lagamar; Fabrício Lusa, Eduardo, Dhiego Lomba, Geovane; Salatiel e Fabiano Tanque
Técnico: Vinícius Saldanha
Estádio: Etelvino Mendonça (12 mil torcedores)
Participações na Série D: 4
Ranking da CBF: 104º colocado
Palpite GE: pode surpreender

Moto Club header (Foto: GloboEsporte.com) Moto Club header (Foto: GloboEsporte.com)

Moto Club (Foto: GloboEsporte.com)

Everlan em jogo do Moto contra o Sparta, pela primeira fase. Desafio é repetir a façanha de 2016, quando time conseguiu o acesso (Foto: Diego Chaves / O Estado do Maranhão) Everlan em jogo do Moto contra o Sparta, pela primeira fase. Desafio é repetir a façanha de 2016, quando time conseguiu o acesso (Foto: Diego Chaves / O Estado do Maranhão)

Everlan em jogo do Moto contra o Sparta, pela primeira fase. Desafio é repetir a façanha de 2016, quando time conseguiu o acesso (Foto: Diego Chaves / O Estado do Maranhão)

Semifinalista da Série D em 2016, o Moto Club comemorou muito o acesso. Alegria que durou pouco, já que os maranhenses fizeram o bate-volta e foram rebaixados no ano seguinte. De volta à quarta divisão, pelo menos o time já mostrou que conhece o caminho das pedras. Na primeira fase, liderou com tranquilidade o Grupo A5, vencendo quatro das seis partidas que disputou. Mas o técnico Luís Miguel sabe que só agora começa pra valer o campeonato. No caminho do acesso, o Flu de Feira é o primeiro rival – o time baiano fez o mesmo número de pontos do Moto na primeira fase e será um adversário de peso. O ponto alto do time maranhense é o sistema defensivo, que não foi vazado em cinco jogos na primeira fase.

Adversário no mata-mata: Flu de Feira (BA)
Time-base: Rodrigo Ramos; Diego Renan, Betão, Wanderson e Chico Bala; Rafael Santos, Romério, Márcio Diogo e Everlan; Valdenir e Ricardo Maranhão
Técnico: Luís Miguel
Estádio: Castelão (40 mil torcedores)
Participações na Série D: 4
Ranking da CBF: 66º colocado
Palpite GE: briga pelo acesso

Sergipe header (Foto: GloboEsporte.com) Sergipe header (Foto: GloboEsporte.com)

Sergipe (Foto: GloboEsporte.com)

Danilo Rios marca o gol da vitória do Sergipe (Foto: Wendell Rezende) Danilo Rios marca o gol da vitória do Sergipe (Foto: Wendell Rezende)

Danilo Rios marca o gol da vitória do Sergipe (Foto: Wendell Rezende)

O sucesso do rival Confiança, que está na Série C, é a receita para o Sergipe trilhar o mesmo caminho na quarta divisão. Por isso, a pressão é grande para o time comandado pelo técnico Edmílson Silva consiga o acesso este ano. O início foi promissor, com uma campanha consistente no Grupo A7, deixando para trás Jacuipense, Central e ASA. O Gipão venceu quatro dois seis jogos que disputou e entra embalado no mata-mata. O maior problema é que o emparceiramento da segunda fase “derrubou a geografia” e os sergipanos terão que medir forças contra o Brasiliense, uma escola diferente da nordestina. O veterano Marinho Donizete, de 37 anos, e com passagem pelo Atlético-MG, está no elenco.

Adversário no mata-mata: Brasiliense (DF)
Time-base: Jean, Rhuan, Cláudio, Carlos Alexandre e Marinho Donizete; Brendon, Danilo Rios, Ramalho e Natan; William Paulista e Diogo
Técnico: Edmílson Silva
Estádio: Batistão (15 mil torcedores)
Participações na Série D: 6
Ranking da CBF: 99º colocado
Palpite GE: briga pelo acesso

Treze header (Foto: GloboEsporte.com) Treze header (Foto: GloboEsporte.com)

Treze (Foto: GloboEsporte.com)

O Treze aposta na experiência de Marcelinho Paraíba para sair da Série D neste ano. Para tanto, terá que passar por times desconhecidos (Foto: Ramon Smith / Treze) O Treze aposta na experiência de Marcelinho Paraíba para sair da Série D neste ano. Para tanto, terá que passar por times desconhecidos (Foto: Ramon Smith / Treze)

O Treze aposta na experiência de Marcelinho Paraíba para sair da Série D neste ano. Para tanto, terá que passar por times desconhecidos (Foto: Ramon Smith / Treze)

Experiência não falta ao Treze para brigar pelo acesso na Série D. O técnico Flávio Araújo já foi duas vezes campeão brasileiro – da própria Série D, em 2012, pelo Sampaio Corrêa; e da Série C, no ano passado, pelo CSA. Dentro de campo, a missão de comandar a equipe é do interminável Marcelinho Paraíba, no alto de seus 42 anos. O problema é que o ex-jogador de São Paulo, Grêmio e Flamengo está tendo uma temporada atípica, com muitos problemas extra-campo – sofreu um AVC e teve até prisão decretada por atraso no pagamento de pensão. Fora isso, o Galo passou sem problemas pela primeira fase, classificado com uma rodada de antecedência e na liderança do Grupo A9. A grande preocupação é o chaveamento do mata-mata, com clubes desconhecidos do futebol nordestino – se passar pelo URT, vai encarar o vencedor do duelo entre Novo e Iporá.

Adversário no mata-mata: URT (MG)
Time-base: Mauro Iguatu, Tallison, Ítallo, Nílson Júnior e Silva; Copetti, Dedé, Marcelinho Paraíba e Ceará; Leílson e Max Samuray
Técnico: Flávio Araújo
Estádio: Presidente Vargas (9 mil torcedores)
Participações na Série D: 5
Ranking da CBF: 102º colocado
Palpite GE: briga pelo acesso

Expedito Madruga (Foto: GloboEsporte.com) Expedito Madruga (Foto: GloboEsporte.com)

Expedito Madruga (Foto: GloboEsporte.com)

Fonte/Imagens: Globoesporte.com/PB

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here