Márcio vê com preocupação o lixo e esgotos que continuam no leito do rio Paraíba

    104
    0
    SHARE

    O vereador e vice-presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, Márcio Melo Rodrigues (PSDC), disse que vê com preocupação as declarações do presidente da AESA, João Fernandes da Silva, representando o Governo do Estado, de que  “mesmo que todas as residências não regularizem os esgotos clandestinos, na região de Monteiro, a poluição gerada pelo esgoto e o lixo acumulado não é suficiente para contaminar a água do Rio São Francisco”, que pode chegar as torneiras da população campinense dentro em breve, conforme matéria publicada pelo Jornal Correio da Paraíba.

    Segundo o parlamentar, é preciso mais sensibilidade do Governo Ricardo Coutinho para que a população campinense e da região não seja penalizada mais ainda. No momento não tem água, e quando chegarem as águas do São Francisco elas podem chegar poluídas, prejudicando milhares de habitantes.

    Destaca que é preciso a ação das autoridades para exigir do Governo a adoção de medidas sérias e urgentes para que o povo não continue sendo tão prejudicado, quer com a falta da água no momento quer com a chegada do produto, no futuro próximo, poluído.

    Inclusive, ressalta o vereador que, parte da responsabilidade é da Cagepa, órgão do Governo estadual, que deveria ter beneficiado aquela população com redes de esgotos e de água há bastante tempo, além da Prefeitura daquela localidade respeitando o bem estar da população, já tão carente e infelizmente desassistida em seus direitos básicos.

    Ele disse esperar que todas as medidas sejam adotadas com a máxima urgência para a solução do problema, pois Campina Grande está padecendo com a falta d’água, tendo Boqueirão apenas quatro por cento, e o Governo Federal fazendo a sua parte na realização das obras da Transposição, conforme o Ministério da Integração.

    Segundo o ministro da Integração, Helder Barbalho, “Estamos trabalhando em todos os turnos para garantir a entrega da água nos prazos que estabelecemos com a população do Nordeste”.

    Com o acionamento da bomba flutuante, pelo ministro Helder Barbalho, no reservatório Braúnas – segundo do Eixo -, a integração do Velho Chico avançou por mais 12 quilômetros e chegou até o reservatório Mandantes – estrutura seguinte -, totalizando 32,4 quilômetros com água. “Nossa expectativa é de que possamos até o último dia de fevereiro entregar água do rio São Francisco, em Monteiro (PB), e a partir daí pegar o curso do Rio Paraíba e assegurar tranquilidade à população”, reforçou o ministro.

    ***Conteúdo de responsabilidade da assessoria

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here